dum quintal maior do que o mundo

manedibarrolá se foi manoel: crescer para passarinho. e os olhos vertendo água feita de sentimento, feito chuva caída das nuvens quando o céu não aguenta o sentir que lhe pesa por cima. o coração se mareja, porque lá se foi manoel. foi enfeitar de suspiros e arreganhamentos o olho-coração do mundo, lá onde as almas se aninham. ele, que olhava as coisas com encanto de querer viver dentro. ele, que ensinava sem lousa a afofar a terra com respiro de delicadeza, a amar o que é vivo com dedicação de menino. mestre da inteireza, composto de arco-íris do primeiro ao último palavreio. foi compor bonitezas junto às estrelas, foi ser inteiro sem tempo. viver para todo o sempre abastado das suas incompletudes, agora infinitas, mais do que nunca.

vá com deus, mané. melhor: vá consigo. teu quintal vai ser sempre maior do que o mundo. e mais bonito também.